terça-feira, 8 de janeiro de 2019

MULHER E FILHAS DE FABRÍCIO QUEIROZ DEVEM DEPOR AO MP DO RIO NESTA 3ª FEIRA

A mulher de Fabrício Queiroz, Márcia de Aguiar, e suas filhas Nathália Melo de Queiroz e Evelyn Melo de Queiroz, devem prestar depoimento ao MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) nesta 3ª feira (8.jan.2019).  Ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), Queiroz foi citado em 1 relatório do Coaf por movimentação suspeita de dinheiro na conta bancária.
Queiroz teria movimentado R$ 1,2 milhão, de janeiro de 2016 a janeiro de 2017.
Uma das transações, 1 cheque de R$ 24.000, foi destinado à primeira-dama, Michelle Bolsonaro.
O nome de uma das filhas de Queiroz, Nathália Melo de Queiroz, também apareceu no documento do Coaf. De acordo com o jornal O Estado de  São Paulo, uma análise na movimentação financeira mostra que Nathalia pode ter repassado para Fabrício o equivalente a quase tudo que recebeu na Alerj durante o período investigado.
A filha de Fabrício repassou R$ 97.641,20 para o pai, uma média de R$ 7.510,86 por mês. O valor equivale a 99% do pagamento líquido da Alerj a Nathalia em janeiro de 2016, segundo a folha salarial do Legislativo fluminense.
No entanto, como não há acesso a todos os dados sobre a movimentação financeira total de Nathalia, não é possível dizer com certeza que o dinheiro veio exclusivamente dos pagamentos que ela recebia da Alerj.
Apesar da família ter sido notificada a dar depoimento sobre o caso, Fabrício de Queiroz ainda não compareceu ao MP-RJ para prestar esclarecimentos. Ele faltou a duas audiências por motivos de saúde. Em entrevista ao SBT, em 26 de dezembro, Queiroz afirmou que é “1 homem de negócios” e trabalha com compra e venda de automóveis.
NATHÁLIA E FAMÍLIA BOLSONARO
Nathália Melo de Queiroz é personal trainer no Rio, mas acumulava 1 cargo no gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro, em Brasília. Ela foi nomeada em dezembro de 2016 e exonerada em outubro de 2018, mesmo mês em que seu pai deixou o gabinete de Flávio, na Alerj.
Em 2007, Nathália também havia trabalhado para Flávio Bolsonaro. Na época, era funcionária da vice-liderança do PP –partido do filho do presidente à época–, onde permaneceu até fevereiro de 2011. Em agosto do mesmo ano, voltou a trabalhar para o senador eleito, dessa vez em seu gabinete. Deixou o cargo em dezembro de 2016.
Após o jornal Folha de S. Paulo publicar uma matéria sobre o caso, Nathália apagou suas contas no Instagram e no Facebook. Além disso, retirou a foto de perfil do WhatsApp.
Antes, nas suas redes sociais, havia fotos dela atuando como personal. Em algumas imagens, Nathália aparece ao lado de atores famosos, como Bruna Marquezine, Bruno Gagliasso e Giovanna Lancelloti.
Na biografia da personal da conta excluída do Instagram, não havia menção aos trabalhos para a família Bolsonaro. Nathália se descrevia como ariana, carioca, determinada, educadora física e certificada em eletroestimulação (procedimento em que os músculos são contraídos e relaxados por meio de 1 aparelho).
*PODER360

Clique aqui e participe do Grupo no WhatsApp

0 comentários:

CURTA!