segunda-feira, 5 de novembro de 2018

CONHEÇA OS NOMES DOS 27 INTEGRANTES DA EQUIPE DE TRANSIÇÃO BOLSONARO



O Diário Oficial da União trouxe nesta 2ª feira (5.nov.2018) 27 nomes que farão parte da equipe de transição do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Destes, 22 serão remunerados e 5 são voluntários.

A seleção de nomes foi passada à Casa Civil por Onyx Lorenzoni, coordenador do time e futuro ministro de Jair Bolsonaro. O Diário Oficial trouxe a nomeação de Onyx na edição da manhã. A lista inclui o ministros anunciados Paulo Guedes (Economia), general Augusto Heleno (Defesa) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), além de especialistas de diferentes áreas, como Marcos Cintra (tributação), 1 dos maiores defensores do imposto único.

Também foram selecionados Arthur e Abraham Weintraub (Previdência) e o ex-diretor da Vale e do Banco Central Roberto Castello Branco. Este último é cotado para assumir a presidência da Petrobras.

Nesta 2ª, Onyx reuniu-se com seu correspondente no governo de Michel Temer, Eliseu Padilha.

Não foram passados novos nomes. Bolsonaro tem o direito de nomear até 50 pessoas para formar a equipe.

Saiba quem são os 22 nomes remunerados divulgados nesta 2ª:
Paulo Guedes
Marcos Pontes
Augusto Heleno
Gustavo Bebianno
Luciano Irineu de Castro Filho
Paulo Antônio Spencer Uebel
Arthur Weintraub
Gulliem Charles Bezerra Lemos
Eduardo Chaves Vieira
Roberto Castello Branco
Luiz Tadeu Vilela Blumm
Carlos Von Doellinger
Bruno Eustáquio Ferreira Castro de Carvalho
Sérgio Augusto de Queiroz
Antônio Flávio Testa
Carlos Alexandre da Costa
Marcos Aurélio Carvalho
Paulo Roberto
Waldemar Gonçalves Ortunho Junior
Abraham Weintraub
Jonathas Assunção Salvador Nery de Castro
Ismael Nobre

Há também 5 nomes que, por ocupar outro tipo de cargo público, foram designados voluntários da equipe de transição:
Marcos Cintra
Alexandre Iwata
Adolfo Sachsida
Pablo Antônio Fernando Tatim Dos Santos

Waldery Rodrigues Junior

TRANSIÇÃO DO GOVERNO
Prevista na lei 10.609, de 2002, a transição de governo serve para o presidente eleito se inteirar sobre o governo atual e programar ações futuras.

Bolsonaro poderá nomear uma equipe de até 50 pessoas para auxiliá-lo. Todos os nomeados serão automaticamente exonerados em até 10 dias após a posse de Bolsonaro.

Todos os nomeados terão a seu dispor 1 celular com acesso ao sistema que servirá como base para o governo eleito.

A plataforma, chamada “Governa”, já é utilizada para troca de informações entre ministérios. A equipe de transição terá acesso irrestrito. Nele, há dados sobre o governo de Michel Temer e o que se planeja para 2019 com base no Orçamento do ano que vem. O sistema continuará a ser atualizado diariamente.

Catorze integrantes da equipe terão ainda permissão para buscar informações junto aos ministérios, com reuniões com integrantes da gestão Temer.

Nesses casos, as reuniões terão de ser agendadas e deverão constar uma ata do que foi discutido.

A equipe de transição terá acesso a uma estrutura física para a realização de reuniões, recepção de aliados e entrevistas à imprensa. O espaço foi cedido pelo Centro Cultural Banco do Brasil, localizado no Setor de Clubes Norte, próximo ao Palácio do Planalto.

Serão disponibilizados 22 gabinetes, sendo 1 para o presidente da República e 1 para 1 para o vice, general Hamilton Mourão. O local conta com computadores.
Fonte: Poder360

0 comentários:

CURTA!