quinta-feira, 25 de outubro de 2018

‘FAREI TODAS AS TENTATIVAS’, DIZ HADDAD SOBRE VOLTA DE CIRO AO BRASIL

O candidato a presidente Fernando Haddad (PT) disse, nesta 5ª feira (25.out.2018), que fez “todas as tentativas que podia fazer” e fará “todas a que pode fazer” para que Ciro Gomes (PDT) anuncie apoio explícito à sua candidatura. 

A declaração foi dada em São Paulo, após participar de reunião com Laura Chinchila, chefe da missão de observação eleitoral da OEA (Organização dos Estados Americanos), que acompanha as eleições no Brasil.

Ciro, que ficou em 3º lugar nas eleições presidenciais de 1º turno, está na Europa desde o dia 11 de outubro. Um dia antes o PDT declarou “apoio crítico” ao petista, sem participar de atos de campanha.

O ex-governador do Ceará volta para o Brasil nesta 6ª (26.out). Seu irmão, o senador eleito Cid Gomes (PDT-CE) prepara 1 ato político no aeroporto de Fortaleza para receber a sua volta.

Sobre a expectativa de que Ciro faça um gesto contundente de apoio à sua candidatura na ocasião, Haddad afirmou que não tem previsão.

“Todas as tentativas que eu podia fazer, eu fiz, e todas que eu posso fazer, farei. Eu tenho a maior admiração pela trajetoria do PDT desde a sua fundação, tenho uma relação de amizade com o presidente [do PDT] Carlos Lupi e com os irmãos Ferreira Gomes, tanto o Cid quanto o Ciro”, disse.

O ex-prefeito de São Paulo disse também que ligou para o presidente do PDT, Carlos Lupi, para pedir uma manifestação mais direta de apoio do partido trabalhista.

“Eu liguei para dizer o que talvez ele não esteja acompanhando. Avisei para ele ‘está virando, Lupi, tem uma onda legal acontecendo no país’. Comuniquei, é a minha obrigação. Se eu pretendo presidir o país, tenho de ter esse tipo de comunicação fácil com as pessoas.”

O petista também disse ter boa relação com Lupi, Ciro e Cid.

“Ele [Lupi] é uma pessoa que eu considero, foi meu colega de Ministério, assim como Ciro foi ministro comigo, o Cid foi governador na época que eu era ministro. São pessoas que sabem o que está em jogo no Brasil.”

Haddad disse que o dirigente partidário ficou de dar resposta sobre a solicitação.

Sobre o fato de não ter falado sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no ato realizado nesta 4ª (24.out) em São Paulo, o ex-prefeito afirmou que não presta atenção em quantas vezes fala sobre seu padrinho político.

“Sabe o que é engraçado? Quando eu falo muito dele perguntam ‘por que você está falando dele, quer colar sua imagem a dele?’. Quando eu eventualmente não falo, perguntam isso. Ninguém tem dúvidas da minha relação com ele, trabalhei com ele, fui ministro do governo, fui advogado dele durante esse tempo todo. Às vezes eu falo mais, outras menos, não fico prestando atenção em quantas vezes falo”, declarou.
Fonte: Poder360

0 comentários:

CURTA!