segunda-feira, 21 de maio de 2018

União de DEM e PSDB na Bahia é um esforço para manter dignidade no pleito de 2018

A semana passada terminou com um sinal claro de que DEM e PSDB vão marchar juntos nas eleições da Bahia em 2018. Os candidatos José Ronaldo (DEM) e João Gualberto (PSDB) não apresentam musculatura política suficiente para percorrerem a campanha eleitoral isolados e, sem dúvidas, a melhor forma de manter uma disputa digna para as eleições deste ano passa pela união das legendas. No entanto, publicamente, nenhum dos partidos vai assumir o recuo – o mais provável a fazê-lo é o PSDB, cuja desistência de candidatura ao Palácio de Ondina é muito mais justificável do que a do DEM. E, como trouxe a repórter Júlia Vigné, o acordo dos novos antigos amigos passa pela cena nacional das legendas. Tanto PSDB quanto DEM não possuem candidaturas à Presidência da República propensas a decolar. Geraldo Alckmin e Rodrigo Maia patinam nas pesquisas eleitorais, e insistir em palanques separados dos partidos na Bahia apenas para garantir espaço para as campanhas dos dois caciques é um preço alto demais a ser pago. Por isso a junção entre as siglas na Bahia deve assegurar que Alckmin e Maia tenham palanque – ainda que a perspectiva das candidaturas de ambos naufragar antes da campanha eleitoral exista. Zé Ronaldo e Gualberto são experimentados o suficiente para saber que sozinhos o caminho das pedras para enfrentar a tentativa de reeleição de Rui Costa (PT) seria ainda mais árduo. Depois de atônita com a permanência de ACM Neto (DEM) na prefeitura de Salvador – o nome dele era o mais competitivo para trazer certa dignidade no processo eleitoral baiano -, a oposição precisava ser reunida para dar algum tipo de trabalho à continuidade do PT à frente do governo da Bahia. Em um cenário que inviabilizou o PMDB de participar de coligações para a sobrevivência política, ou o restante das legendas marcha junta ou uma derrota acachapante poderia marcar o pleito de 2018. Por falar em cenários para as eleições, o Bahia Notícias publica nos próximos dias uma pesquisa de intenções de voto no cenário estadual em parceria com o instituto P&A Pesquisa e Análise. Talvez ajude os atores políticos a acelerarem o processo de construção das alianças. Este texto integra o comentário desta segunda-feira (21) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30, e para as rádios Excelsior, Irecê Líder FM e Clube FM.

0 comentários:

CURTA!