terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

PF prende líderes de seita que aliciavam fiéis para trabalho escravo em três estados


RIO – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira uma operação para prender 22 líderes da seita religiosa "Traduzindo o verbo – A marca da verdade", acusados de aliciar fiéis para trabalhar em condições análogas à escravidão em fazendas e estabelecimentos comerciais de São Paulo, Minas Gerais e Bahia. Eles devem responder pelos crimes de tráfico de pessoas, estelionato, organização criminosa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Na operação "Canaã – A Colheita Final", 220 policiais federais e 55 auditores fiscais do Ministério do Trabalho (MTE) estão cumprindo 22 mandados de prisão preventiva, 17 mandados de interdição de estabelecimento comercial e 42 mandados de busca e apreensão (expedidos pela 4ª Vara Federal em Belo Horizonte/MG).

A investigação aponta que os dirigentes da seita religiosa, com sede em São Paulo, agiam convencendo fiéis a doar todo o seu patrimônio a associações controladas pela organização criminosa, sob o pretexto de viver em comunidades, onde todos os bens seriam compartilhados. Depois de doutrinadas, as vítimas eram levadas para zonas rurais e urbanas em Minas, São Paulo e Bahia, onde eram submetidas a extensas jornadas de trabalho, sem nenhuma remuneração, em lavouras e estabelecimentos comerciais como oficinas mecânicas, postos de gasolina, pastelarias e confecções.

PUBLICIDADE


De acordo com a Polícia Federal, com a apropriação dos bens dos fiés e o desempenho de atividades comerciais sem o pagamento da mão-de-obra, a seita acumulou grande patrimônio – casas, fazendas e veículos de luxo – e estaria ampliando a área de atuação até o estado do Tocantins.

A investigação começou em 2011, quando a seita estava migrando do estado de São Paulo para Minas Gerais. No ano de 2013, foi desencadeada a "Operação Canaã", com inspeções nas propriedades rurais e em algumas das empresas urbanas. Em 2015 foi deflagrada a segunda fase, batizada "De volta para Canaã", quando foram presos temporariamente cinco dos líderes religiosos.

"Canaã – A Colheita Final" é a terceira fase da operação. O nome é uma referência bíblica à terra prometida por Deus a seus fiéis.

*O GLOBO

0 comentários:

CURTA!