quinta-feira, 11 de junho de 2015

Sesab determina corte de 25% nas despesas de custeio de unidades SUS



Jairo Costa Junior para o Jornal Correio 24h
A Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) determinou corte de 25% nas despesas de custeio em todas as 52 unidades do SUS geridas pelo governo baiano na capital e interior. A medida atinge hospitais gerais,  maternidades, centros de referência e de atendimento médico de emergência. A lista de gastos que serão reduzidos inclui água, energia, telefone, compras de equipamentos, mão de obra terceirizada e folha de pagamento. A decisão já foi informada pelo secretário Fábio Vilas-Boas  a dirigentes da cúpula da Sesab e dos maiores hospitais da rede estadual. Entre os quais, HGE, Roberto Santos e Menandro de Farias. Nas reuniões, realizadas de forma gradual desde o começo da semana, os diretores das unidades são avisados por Vilas-Boas de que ou cumprem a ordem de enxugar custos ou serão substituídos.

Passa e repassa
A tesourada na Sesab foi decidida em uma reunião conjunta entre o governador Rui Costa (PT), Fábio Vilas-Boas e os secretários da Administração, Edelvino Góes, e da Fazenda, Manoel Vitório. Daí a  expressão usada por Vilas-Boas ao anunciar o aperto: “O governador cobrou de mim e eu estou cobrando de vocês”.

Tapa-buraco
A meta é reduzir o atual déficit de R$ 650 milhões na Sesab -  meio bilhão de reais acumulado até 2014, mais R$ 30 milhões que são adicionados mensalmente à conta negativa. Um dos reflexos da asfixia financeira na Sesab foi a suspensão de cirurgias eletivas no Roberto Santos por falta de soro fisiológico.

Sobre leões e lobos
As negativas do vice-governador, João Leão (PP), em seu interrogatório  à Polícia Federal, anteontem, não foram suficientes para tranquilizar o Palácio de Ondina. Segundo integrantes do alto escalão do governo Rui Costa, o desconforto ainda é grande com a presença de Leão, número dois na hierarquia do Executivo estadual, na lista de políticos investigados por suspeita de receber propina do esquema da Lava Jato. Não tanto pelo teor da delação premiada de dois dedos-duros do escândalo de corrupção: o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.  Mas sobretudo pelo andamento da devassa da PF sobre contas de campanha de 2008 a 2012.

Galinha gorda
Os deputados Bebeto Galvão (PSB) e Jorge Solla (PT) duelam veladamente pela vaga de novo líder político dos 6,7 mil órfãos do Estaleiro Enseada do Paraguaçu. Antes, o espaço era feudo do ex-deputado Luiz Alberto (PT), principal representante dos trabalhadores do setor petroleiro na Bahia, derrotado nas eleições passadas.

Saia justa
O ministro da Defesa, Jaques Wagner, se enroscou na lógica ontem, durante um seminário sobre administração pública em Brasília. Ao defender mudanças urgentes no sistema de controle de gastos governamentais, disse que o atual é “ultrapassado” . Com 12 anos de PT no poder, das duas, uma: ou o partido criou ou manteve a defasagem.

0 comentários:

CURTA!