quinta-feira, 20 de setembro de 2018

PF pede mais 15 dias para concluir inquérito sobre atentado a Jair Bolsonaro
A Polícia Federal solicitou hoje à Justiça Federal em Juiz de Fora mais 15 dias para poder concluir o inquérito sobre a tentativa de assassinato do deputado Jair Bolsonaro.

Segundo a PF, o prazo é necessário para o “encerramento de diligências indispensáveis”.

“Com tais elementos probatórios a serem recolhidos nas próximas semanas, a PF pretende avançar no sentido de caracterizar a autoria e materialidade do ato criminoso, bem como determinar as motivações do agressor e delimitar eventuais co-participações”, diz a Polícia em nota.

Até o momento a Polícia Federal entrevistou 38 pessoas, colheu 15 depoimentos formais de testemunhas, realizou três interrogatórios formais de Adélio Bispo de Olilveira e analisou dois terabytes de imagens.

Foram realizadas diligências investigativas em Juiz de Fora, Montes Claros, Uberaba, Uberlândia, Pirapitinga, Belo Horizonte e Florianópolis.

A PF concluiu cinco laudos periciais, outros quatro exames seguem em andamento. Além disso, foram pleiteadas e obtidas junto ao Poder Judiciário várias medidas cautelares, como quebra de sigilo bancário, telefônico e telemático.
*O Antagonista
Em fase agressiva, Alckmin associa Bolsonaro a Chávez

A programa de Geraldo Alckmin no horário eleitoral na noite desta quinta-feira vai apostar em apontar risco da eleição de Jair Bolsonaro para a economia e para a democracia. A propaganda começa explorando a proposta de reforma tributária de Paulo Guedes dizendo que ela significaria que pobres pagarão mais imposto. “Se Bolsonaro for eleito, prepare seu bolso”, diz a peça.
Em seguida, o programa foca na Venezuela, dizendo que o País vizinho era muito semelhante ao Brasil, mas mergulhou no caos após fazer uma escolha eleitoral errada. “A democracia morreu de vez. Com Chávez, começou uma ditadura que dura até hoje”, diz a propaganda até aqui mais ideologizada dos tucanos, que traz testemunhos de uma refugiada venezuelana dizendo que Chávez “prometeu acabar com a corrupção, mas criou novos corruptos”. 
por V.M. em BR18
Haddad relativiza influência de Lula em seu crescimento nas pesquisas
O candidato do PT à presidência, Fernando Haddad, relativizou a influência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na transferência de votos para sua candidatura. Em entrevista ao Jornal da Globo, exibida na madrugada desta quinta-feira, o presidenciável afirmou que crescimento nas pesquisas eleitorais não se deve apenas à indicação do ex-presidente Lula. “É isso também, mas, se fosse só isso, haveria transferência para todo lugar onde ele apoia, não funciona tão automaticamente”.
O petista chegou 16% das intenções de voto na pesquisa Datafolha divulgada também no início desta quinta — três pontos a mais que o levantamento anterior, de 14 de setembro; Jair Bolsonaro (PSL) lidera com 28%. O instituto Ibope mediu um crescimento ainda mais expressivo de Haddad, que saltou 7% para 19% entre 11 e 18 de setembro.
Haddad também afirmou que não dar indulto ao ex-presidente, preso e condenado na Lava Jato, é sua palavra final. Ao comentar as condenações de José Dirceu, e dos ex-petistas André Vargas e Antonio Palocci, o candidato evitou responder se considerava as sentenças justas. Citando o caso do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, Haddad disse apenas que a pena imposta ao petista foi “desequilibrada” e que membros de outros partidos, como José Serra (PSDB), tiveram investigações arquivadas. “Parece haver, em alguns casos específicos, dois pesos e duas medidas”, afirmou o presidenciável.
Na área econômica, Haddad fez acenos ao mercado financeiro, com um discurso mais próximo ao centro e criticou o teto de gastos criado pelo governo Temer. Ele reforçou sua promessa de elevar impostos para bancos que cobram juros mais altos do que a média de mercado e reduzir para aqueles que cobram alíquotas menores. Disse que o risco de instituições segurarem o crédito em resposta a essa regra pode ser diminuído com atuação nos depósitos compulsórios. Ele pontuou que os bancos públicos estariam sujeitos às mesmas regras das instituições privadas.
*VEJA.com
Bolsonaro lidera com folga no DF, RJ, SP e MG

Com base na ultima pesquisa DATA FOLHA, Bolsonaro alcança no DF seu melhor desempenho entre as cinco unidades da federação onde o instituto realizou também levantamento sobre a sucessão nos governos locais (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal e Pernambuco).
No Rio, onde mora e fez sua carreira, o deputado federal obtém resultado positivo. Ele registra 38% das intenções de voto, 25 pontos à frente do segundo colocado, Ciro (13%). No resultado nacional, o capitão reformado possui 28% e também surge na dianteira da corrida presidencial.
Bolsonaro só não aparece em primeiro lugar em Pernambuco, onde Haddad consegue 24% dos votos e assume a liderança. No estado nordestino, o postulante do PSL tem 17% e está em segundo. O pedetista vem logo atrás, com 13%.
Nos outros estados, o apadrinhado político do ex-presidente Lula (PT) não repete o desempenho de Pernambuco. No Rio, por exemplo, Haddad cai para 11% e fica em terceiro, atrás de Bolsonaro e Ciro.
O petista e o pedetista se alternam em segundo e terceiro lugar nos cenários estaduais. A exceção é São Paulo, onde o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) é quem aparece em segundo. O tucano chega a 16%. Bolsonaro, o líder, possui 27% no estado que foi administrado pelo paulista por quatro vezes.
Na média geral, que considera todo o país, Haddad fica na segunda colocação (16%), Ciro na terceira (13%) e Alckmin na quarta (9%).
Marina Silva (Rede), quinta colocada no resultado nacional, com 7%, varia de 6% a 9% entre uma unidade da federação e outra.
Uma alteração mais significativa ocorre no percentual de entrevistados que pretendem votar em branco ou nulo. Mais eleitores em Pernambuco (16%) estão propensos a fazer isso do que no Distrito Federal (8%). A média geral do Brasil é 12%.
​As taxas de rejeição também têm oscilações importantes.
Bolsonaro, por exemplo, é descartado por 55% das pessoas ouvidas em Pernambuco, mas reduz o índice para 35% no Rio. No âmbito nacional, é de 43% a taxa de entrevistados que responderam que não votariam no deputado de jeito nenhum.
Haddad tem seu menor índice de rejeição em Pernambuco (22%), mas chega a 42% no Distrito Federal. No estado de São Paulo, é reprovado por 38% das pessoas. Na média geral, registra 29%.
Bolsonaro puxa o pelotão de rejeitados em São Paulo. No estado, 43% repelem o deputado do PSL. Marina vem a seguir, com 35% de entrevistados que a refutam.
Alckmin é mais rejeitado em São Paulo, onde 30% o descartam, do que no Rio (22%), em Minas (23%) e em Pernambuco (23%). A maior taxa de reprovação ao tucano, porém, é no Distrito Federal (33%). Na média nacional, ele marca 24%.
A pesquisa foi feita nos dias 18 e 19 de setembro, terça e quarta-feira desta semana. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos em São Paulo e de 3 pontos nas demais unidades da federação. O levantamento foi registrado na Justiça Eleitoral com o número BR-06919/2018.
*Conteúdo: Folha SP 

INTENÇÕES DE VOTO

Jair Bolsonaro (PSL)
São Paulo: 27%
Rio de Janeiro: 38%
Minas Gerais: 29%
Distrito Federal: 39%
Pernambuco: 17%
BRASIL: 28%

Fernando Haddad (PT)
São Paulo: 13%
Rio de Janeiro: 11%
Minas Gerais: 16%
Distrito Federal: 13%
Pernambuco: 24%
BRASIL: 16%

Ciro Gomes (PDT)
São Paulo: 11%
Rio de Janeiro: 13%
Minas Gerais: 12%
Distrito Federal: 14%
Pernambuco: 13%
BRASIL: 13%
Geraldo Alckmin (PSDB)
São Paulo: 16%
Rio de Janeiro: 5%
Minas Gerais: 8%
Distrito Federal: 5%
Pernambuco: 7%
BRASIL: 9%

Marina Silva (Rede)
São Paulo: 6%
Rio de Janeiro: 8%
Minas Gerais: 7%
Distrito Federal: 9%
Pernambuco: 9%
BRASIL: 7%

Em branco/nulo/nenhum
São Paulo: 12%
Rio de Janeiro: 13%
Minas Gerais: 14%
Distrito Federal: 8%
Pernambuco: 16%
BRASIL: 12%

REJEIÇÃO

Jair Bolsonaro (PSL)
São Paulo: 43%
Rio de Janeiro: 35%
Minas Gerais: 41%
Distrito Federal: 39%
Pernambuco: 55%
BRASIL: 43%
Marina Silva (Rede)
São Paulo: 35%
Rio de Janeiro: 26%
Minas Gerais: 32%
Distrito Federal: 33%
Pernambuco: 27%
BRASIL: 32%

Fernando Haddad (PT)
São Paulo: 38%
Rio de Janeiro: 31%
Minas Gerais: 28%
Distrito Federal: 42%
Pernambuco: 22%
BRASIL: 29%

Geraldo Alckmin (PSDB)
São Paulo: 30%
Rio de Janeiro: 22%
Minas Gerais: 23%
Distrito Federal: 33%
Pernambuco: 23%
BRASIL: 24%
Ciro Gomes (PDT)
São Paulo: 26%
Rio de Janeiro: 21%
Minas Gerais: 22%
Distrito Federal: 28%
Pernambuco: 21%
BRASIL: 22% ​
Polícia Legislativa diz que recepcionista registrou Adélio por engano e vai arquivar investigação
O sistema da Câmara dos Deputados registrou por duas vezes uma suposta entrada de Adelio Bispo de Oliveira nas dependências do Congresso no dia 6 de setembro, data em que ele esfaqueou o presidenciável Jair Bolsonaro em Juiz de Fora (MG), 1.000 km distante de Brasília.
Segundo o diretor da Polícia Legislativa da Câmara, Paul Pierre Deeter, investigação interna foi aberta e comprovou ter havido apenas erro de um recepcionista.
Deeter afirmou que esse funcionário, que não teve o nome divulgado, foi consultar no sistema eventual entrada de Bispo na Câmara, quatro horas após o esfaqueamento, e por engano registrou a entrada.
"O Adélio já estava preso nesse momento em Minas. Foi apenas um erro do recepcionista, que foi ouvido, mas não houve má fé ou qualquer outra situação que estão falando por aí", afirmou o diretor. A investigação será arquivada.
De acordo com a Câmara, há registro de entrada de Bispo no Congresso em agosto de 2013, mas não se sabe a qual lugar exatamente ele foi na época. 
*Folha SP

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Paulo Guedes nega proposta de ‘nova CPMF’
O economista Paulo Guedes, assessor do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL), disse ao GLOBO nesta quarta-feira que a criação de um imposto sobre transações financeiras está em análise pela campanha, mas a medida não significaria aumento de carga tributária. De acordo com Guedes, a ideia seria substituir impostos federais por um novo tributo, e não criar uma nova tributação. A informação de que ele teria sugerido uma “nova CPMF” em uma reunião com um grupo de investidores com foi noticiada pela “Folha de S. Paulo” nesta quarta. De acordo com o economista, a ideia seria substituir impostos federais considerados regressivos, como o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) por um imposto único, que incidiria sobre transações financeiras. Segundo fonte do mercado financeiro que teve acesso ao conteúdo tratado na reunião, Guedes enfatizou que planejava diminuir a carga tributária por meio de substituição e simplificação de impostos.
 — Estamos examinando dentro das nossas simulações pegar quatro, cinco, seis impostos e criar um imposto único federal — disse o economista, explicando que a proposta concorre com a ideia de criar um imposto sobre valor agregado (IVA), em análise por outros candidatos. — Estamos examinando. Estamos fazendo as primeiras simulações de como seria se fosse o IVA e como seria se fosse sobre transações.Questionado se a ideia seria criar uma proposta como a Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF), que vigorou por 11 anos no Brasil, Guedes negou a comparação. Mas não deu detalhes sobre qual seria a incidência do possível novo imposto único. A CPMF incidia sobre todas as movimentações, inclusive sobre saques e movimentações de cheques.— Não é a CPMF. A primeira diferença é que a CPMF é um imposto a mais. (A nossa proposta) seria um imposto único. Não é aumento de imposto de jeito nenhum, é uma simplificação brutal — afirmou.
    *O GLOBO
O economista defendeu ainda que seu plano é baixar a carga tributária de 35% para 25% em dez anos. Ele não deu detalhes sobre qual dos planos — IVA ou imposto único sobre transações financeiras — seria o caminho de preferência da campanha.Guedes comentou ainda que não pretende ter uma alíquota única de imposto de renda para pessoas físicas e jurídicas. Segundo ele, o plano é baixar o imposto sobre pessoas jurídicas.— A gente está simulando um imposto de renda pessoa jurídica cair de 34% para 15%. Cobra-se 20% nos EUA, no Brasil vou cobrar menos — afirmou. Na manhã desta quarta-feira, após a publicação da informação pela “Folha”, Bolsonaro usou o Twitter para defender a redução da carga tributária. “Nossa equipe econômica trabalha para redução da carga tributária, desburocratização e desregulamentações. Chega de impostos é o nosso lema! Somos e faremos diferente. Esse é o Brasil que queremos!”, afirmou o presidenciável.
Câmara tem registro de visitas de Adélio Bispo no dia do atentado
Ofício da Polícia Legislativa, obtido com exclusividade por O Antagonista, informa a existência de dois registros de entrada de Adélio Bispo de Oliveira na Câmara dos Deputados, no dia 6 de setembro – data do atentado contra Jair Bolsonaro.
O documento oficial foi enviado ao terceiro-secretário, deputado JHC, que atendeu à solicitação de O Antagonista por todos os registros de visitação do criminoso.
“Constatou-se a existência de mais dois registros de entrada referentes à pessoa do Senhor Adélio, ambos datados do dia 6 de setembro de 2018, dia em que fora efetuada sua prisão no estado de Minas Gerais em decorrência do atentado ao deputado Bolsonaro”, escreve o diretor Paul Pierre Deeter.
Como é impossível Adélio ter estado na Câmara, Deeter desconfia que os registros tenham sido forjados e determinou a abertura de uma investigação interna para “averiguar as circunstâncias nas quais se deram os supostos registros”. Ele também pediu a decretação de sigilo.
Há duas semanas, O Antagonista havia obtido a confirmação de uma visita de Adélio ao Anexo IV no dia 6 de agosto de 2013. Não foi possível, porém, saber o destino do criminoso nas dependências legislativas – se esteve em algum gabinete parlamentar, por exemplo.
Agora, porém, a situação é muito pior.
A constatação da Polícia Legislativa revela uma grave vulnerabilidade do sistema de controle de acesso às dependências da Câmara.
Se os registros de entrada de Adélio foram feitos antes do atentado, significa que alguém de dentro – com acesso ao sistema – tentou forjar um álibi para Adélio.
Caso tenham sido forjados posteriormente, resta evidente a tentativa de apagar qualquer rastro do criminoso e confundir as autoridades, numa clara tentativa de obstrução da Justiça.
*via: O Antagonista
38 cidades baianas tiveram repasses federais bloqueados por dívidas
Trinta e oito cidades da Bahia tiveram repasses federais bloqueados este ano causados por dívidas previdenciárias. Entre janeiro e julho, as cidades em débito com a Previdência deixaram de receber pelo menos uma parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que foi direcionada para o pagamento da dívida. Segundo levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), ficaram retidos, em todo o Brasil, R$ 3,61 bilhões do FPM – o que corresponde a 5,3% do total repassado pela União. Das 5.568 cidades brasileiras, 663 tiveram retenção do FPM, que é a  principal fonte de receita para custeio de serviços básicos e investimentos nos pequenos e médios municípios.

Primeira vez
Outro dado levantado pela entidade demonstra que o valor do FPM retido por causa da dívida previdenciária vem aumentando nos últimos anos, passando de R$ 6,17 bilhões em 2013 para R$ 7,26 bilhões em 2017. De 2013 a julho de 2018, o total chega aos R$ 38,9 bilhões.

*CORREIO 
Repasses de partidos a candidatos ultrapassam R$ 1 bilhão

Os partidos políticos já destinaram R$ 1,4 bilhão para candidaturas nas eleições deste ano, segundo a primeira parcial da prestação de contas, divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

De acordo com o G1, as candidaturas a deputado receberam a maior parcela: R$ 930 milhões do total – o equivalente a 68,7% do montante. Os números finais devem ser apresentados pelos postulantes à Justiça Eleitoral em até 30 dias após o fim das eleições.

Esta é a primeira eleição com o Fundo Eleitoral, que totaliza R$ 1,7 bilhão, destinado a financiar candidaturas após a proibição das doações de empresas, em 2015. Os diretórios também podem repassar dinheiro recebido pelo Fundo Partidário (previsto em R$ 513 milhões neste ano) e por outras fontes (doações e contribuições, por exemplo).

Apenas três partidos (MDB, PR e PP) respondem por mais de 1/3 (36,9%) dos aportes. O MDB foi a sigla que mais destinou dinheiro a candidaturas – no total, R$ 202 milhões. PR e PP transferiram R$ 162,2 milhões e R$ 142,5 milhões, respectivamente.

*Metro1
Para Haddad, os Calheiros são 'amigos da democracia'
Em carreata pelas ruas de Maragogi, no início deste mês, o poste de Lula gravou um vídeo ao lado dos candidatos à reeleição Renan (Senado) e Renanzinho (governo), ambos do MDB, o partido do golpe, segundo os petistas.

O presidenciável do Partido dos Trabalhadores (PT) também chamou o herdeiro do clã Calheiros de “grande governador”, agradeceu ao senador por defender o presidiário Lula e classificou pai e filho como “amigos da democracia”.
PF prende em Minas suspeitos de fraudar INSS em cidades baianas
A Polícia Federal prendeu hoje (19) três pessoas suspeitas de fraudar o INSS em nove municípios de Minas Gerais e nas cidades baianas de Itabela e Eunápolis.
Segundo o G1, os investigados forjavam o nascimento de menores e davam entrada na Previdência com processos de obtenção de pensões por morte. Além disso, usavam documentos falsos por pessoas aliciadas para se passarem pelas representantes legais das crianças fictícias.
De acordo com a PF, as fraudes causaram um prejuízo de aproximadamente R$ 2,9 milhões aos cofres públicos. Em Minas, as fraudes aconteceram em Almenara, Itaobim, Araçuaí, Ibirité, Vespasiano, Sabará, Caeté, Betim e Belo Horizonte.
Os investigados podem responder pelos crimes de formação de quadrilha e de estelionato qualificado.
*Metro1
 Rui Costa tem 60% das intenções de voto ao governo da BA, segundo IBOPE
Pesquisa Ibope divulgada nesta 3ª feira (18.set.2018) apontou Rui Costa, do PT, na liderança para o governo da Bahia. Ele tem 60% das intenções de voto. O petista cresceu 10 pontos percentuais em relação à pesquisa divulgada em agosto.

O levantamento foi encomendado pela TV Globo. Foram entrevistados 1.008 eleitores de 61 cidades baianas, entre os dias 15 a 17 de setembro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no TRE-MG (Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais) sob o nº BA-01723/2018 e no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o nº BR-03445/2018.
Coligação de Zé Ronaldo pede auditoria em pesquisa do Ibope que coloca Rui com 60%
O presidente estadual do DEM da Bahia, o deputado federal José Carlos Aleluia, disse que a coligação do candidato ao governo da Bahia José Ronaldo (DEM) vai entrar com pedido de auditoria na Justiça Eleitoral questionando os resultados da pesquisa do Ibope divulgada no final da tarde desta terça-feira (18) pela TV Bahia  na qual o candidato Zé Ronaldo aparece com 7% das intenções dos votos contra 60% do atual governador Rui Costa (PT).

Segundo Aleluia, os números das pesquisas internas realizadas pelo DEM são completamente divergentes dos números apresentados pelo Ibope. Segundo ele, o instituto vem errando historicamente nas avaliações realizadas no estado da Bahia.

“Estamos vendo a insatisfação nos olhos da população em todos os municípios por onde passamos. Por isso, é muito estranho esse resultado”, disse Aleluia.

RIVALIDADE
“A pancada que vem das ruas é tão grande que eles ficaram desorientados e estão questionando a pesquisa encomendada pela TV Bahia, de propriedade da família de ACM Neto, presidente do DEM, do partido deles. O fracasso subiu à cabeça dos golpistas”, afirmou José Trindade (Podemos), vereador licenciado de Salvador e um dos coordenadores da campanha do governador Rui Costa.

*BN
Crescimento de Irmão Lazaro acende luz amarela no comando da campanha de Rui

A 19 dias das eleições, o sinal amarelo acendeu no QG da campanha da chapa governista ao Senado. Informações chegadas ao Varela Notícias dão conta de que a candidatura de Irmão Lazaro (PSC) tem crescido e ultrapassa, vez ou outra, a de Jaques Wagner.

Com isso, fica cada vez mais difícil que Rui Costa consiga eleger os dois nomes ao Senado. Fato semelhante aconteceu pela última vez em 1962, quando Lomanto Júnior foi eleito governador, mas não consegue eleger os dois candidatos ao Senado, subindo à Câmara Alta do Congresso Antonio Balbino (PSD) e Josaphat Marino (PST), ambos candidatos de Waldir Pires à época.
Na tentativa de frear o crescimento de Lazaro, a campanha capitaneada pelo PT colocou no domingo 54 inserções em quatro emissoras de TV das 6h às 23. Em todas elas, Lazaro é descrito como um candidato que “tirou Dilma e colocou Temer. Está contra o presidente Lula. Está contra Rui Costa”.
Em conversa com o VN, uma fonte palaciana afirmou que a oscilação de números que ora deixa Wagner e Lazaro empatados, ora deixa o candidato de oposição levemente à frente, tem deixado cúpula atônita. E disse mais. “O PSD está botando a culpa no PT pelo fato de Coronel não ter conseguido decolar”.
Na única pesquisa Ibope divulgada até o momento, Wagner aparece com 34% e Irmão Lazaro com 23%. Coronel tem apenas 7%.
Embora partidários de esquerda não externem apoio a Irmão Lazaro, alguns dizem que vão votar em outro candidato que não Coronel. A justificativa foi a retirada de Lídice da Mata da chapa, após uma queda-de-braço com o presidente estadual do PSD, senador Otto Alencar.
Dentro do PSB, por exemplo, Domingos Leonelli declarou apoio a Fabio Nogueira (PSOL) e Valdemar Oliveira, presidente municipal da legenda, diz apoiar Celsinho Cotrim (PRTB).
Nas redes sociais, militantes de esquerda negaram votar em Coronel. Seria uma espécie de represália ao fato de Lídice ter sido preterida.
*VN
TSE suspende propaganda com mensagem de Lula em apoio a Haddad
O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Sérgio Banhos determinou nesta segunda-feira (17) a suspensão da propaganda eleitoral do candidato à presidência pelo PT, Fernando Haddad, em que são lidos trechos da chamada Carta de Lula ao Povo Brasileiro. A decisão foi tomada de modo liminar (provisório) após representação feita pela coligação do candidato Jair Bolsonaro, do PSL.
Segundo o ministro, a campanha de Haddad desrespeitou a legislação eleitoral ao exibir, durante grande parte do programa eleitoral, a leitura da carta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarando apoio ao ex-prefeito de São Paulo.
"A coligação representada excedeu 'o limite de at é 25% do tempo de cada programa ou inserção', reservado para os apoiadores, conforme precisos termos do Artigo 54 da Lei nº 9.504/1997", escreveu Banhos.
Com a decisão, a coligação O Povo Feliz de Novo, formada pelo PT, PCdoB e PROS, fica impedida de veicular o mesmo teor da campanha eleitoral que foi ao ar na propaganda em bloco da TV da última quinta-feira (13). 
Além de decretar a suspensão "imediata" da propaganda no rádio e na TV, o ministro deu o prazo de dois dias para que a defesa do PT se manifeste sobre o assunto. Sérgio Banhos determinou também que o Ministério Público Eleitoral se manifeste no máximo um dia após serem ouvidos os advogados da campanha de Haddad.

Candidatura barrada

No início do mês, o TSE barrou o pedido de registro da candidatura de Lula, determinando que o partido indicasse em até dez dias um substituto para a disputa. Antes candidato à vice, Fernando Haddad foi registrado para concorrer ao pleito e foi apresentado como candidato a presidente nas campanhas petistas, tendo Manuela D'Ávila (PCdoB) como candidata a vice.
A propaganda questionada exibe trechos da chamada Carta de Lula ao Povo Brasileiro, que foi escrita pelo ex-presidente manifestando apoio a Haddad. Condenado em segunda instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba e foi impugnado tendo como base a Lei da Ficha Limpa.
Segundo a coligação de Bolsonaro, a propaganda veiculada na última quinta-feira (13) deixa o candidato Fernando Haddad "à margem", como "mero locutor dos feitos de Lula", enquanto enaltece a figura do ex-presidente.
Os advogados argumentaram que a publicidade cria "estado emocional" nos eleitores de dúvida sobre quem de fato é candidato, além de descumprir decisões judiciais anteriores que proibiram a apresentação de Lula como candidato e divulgar fato "sabidamente inverídico".
"A aludida propaganda [Carta de Lula ao Povo] foi veiculada após o pedido de substituição da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em completo desrespeito às determinações desta Corte", alegou a coligação do PSL.
As propagandas eleitorais obrigatórias no rádio e na televisão vão ao ar às terças-feiras, quintas e sábados. Nesta noite, o tribunal confirmou os nomes que aparecerão na urna eletrônica, que terá 13 candidatos à Presidência.
Fonte: Agencia Brasil

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Kim dá novos sinais de que quer segundo encontro com Trump

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, disse nesta terça-feira (18) que seu “histórico” encontro com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em junho, estabilizou a segurança regional. Kim afirmou também esperar mais progressos nas suas negociações com a Coreia do Sul sobre a desnuclearização da península.
Entre esta terça e quinta-feira, Kim manterá encontros com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, em Pyongyang, para avançar na agenda de pacificação. Essa reunião será um teste decisivo para outro movimento planejado pelo ditador – o segundo encontro com Trump.
Em carta enviada à Casa Branca na semana passada, Kim indicou sua vontade de mais uma vez reunir-se ao presidente americano, que havia posto as negociações bilaterais em banho-maria. Trump gostou da iniciativa e trabalha com Pyongyang em torno de uma data no final deste ano.
A perspectiva dos três presidentes é colocar um ponto final na Guerra da Coreia que, desde 1953, está suspensa por uma trégua. Mas também alcançar um acordo definitivo sobre o fim do programa militar nuclear da Coreia do Norte e da presença militar – inclusive nuclear – americana na região. Como consequência, as sanções econômicas dos Estados Unidos e outros países a Pyongyang deverão ser suspensas.
Na abertura da terceira rodada de negociações entre as duas Coreias, em Pyongyang, Kim agradeceu a Moon por ter intermediado o seu encontro com Trump, em Singapura. “Graças a isso, a situação política na região se estabilizou, e espero resultados mais avançados”, disse a Moon, que expressou gratidão pela “ousada decisão de Kim de abrir uma nova era”.
A primeira sessão de negociações desta terça, que durou duas horas, foi realizada na sede do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores do Norte, com as presenças do vice-presidente do partido, Kim Yong Chol, e de Kim Yo Jong, irmã de Kim Jong-un, e também com o assessor de segurança nacional da Coreia do Sul, Chung Eui-yong, e o chefe de espionagem sul-coreano, Suh Hoon.
Kim recebeu Moon com abraços e apertos de mão quando o líder sul-coreano desembarcou na capital norte-coreana com a missão de retomar o ritmo de conversas de desnuclearização entre Estados Unidos e Coreia do Norte, e de avançar com a possibilidade de encerrar formalmente a Guerra da Coreia.
À medida que Kim acompanhava Moon à residência destinada a convidados do Estado, onde o presidente sul-coreano ficará hospedado durante sua visita de três dias, Kim disse querer produzir um “resultado maior em um ritmo mais rápido” do que os dois líderes alcançaram até agora.
Os líderes desfilaram pelas ruas de Pyongyang na limusine Mercedes-Benz preta de Kim, em meio a aplausos de quase 100 mil norte-coreanos, que acenaram com flores e gritavam: “Pátria! Unificação!”.
“Você, sr. presidente, está viajando por todo o mundo, mas nosso país é humilde comparado às nações desenvolvidas”, disse Kim a Moon. “Tenho esperado por hoje. O nível da acomodação e do programa que fornecemos pode ser baixo, mas é com nossa melhor sinceridade e coração.”
Moon disse que é “tempo de dar frutos”, e agradeceu Kim por sua hospitalidade, que incluiu uma enorme cerimônia de boas-vindas no aeroporto internacional de Pyongyang.

 (Fonte: Veja / Reuters)

Com gol de Firmino nos acréscimos, Liverpool sai do sufoco e bate PSG em estreia na Champions

Com um gol de Firmino já nos acréscimos, o Liverpool venceu o PSG na estreia das duas equipes na Uefa Champions League, em Anfield Road.
Com o resultado, os ingleses assumem a ponta isolada do Grupo C do torneio. Já o PSG, graças ao empate em 0 a 0 de Napoli e Estrela Vermelha, fica na lanterna.  
O primeiro tempo foi muito movimentado, com as duas equipes criando boas chances e uma leve predominância do Liverpool, que poupou Firmino no início, com o olho machucado.
Logo aos 5, Van Dijk cabeceou com perigo e Areola, substituindo o suspenso Buffon (expulso contra o Real Madrid, ainda pela Juve, na temporada passada), fez grande defesa.
O PSG respondeu aos 16, com chute forte de Neymar, que Alisson rebateu. No rebote, Cavani bateu fraco e o goleiro defendeu. Começou, então, um bombardeio dos ingleses, com Salah, Mané e Sturridge se revezando em lances perigosos. 
Aos 28, Neymar recebeu bom lançamento de Meunier e iria sair na cara do gol. O impedimento, assinalado pela arbitragem, não existiu. Um minuto depois, o Liverpool inaugurou o marcador. 
Arnold recebeu na direita e cruzou forte. A bola atravessou a área inteira e encontrou Robertson, na esquerda. De primeira, o lateral colocou na cabeça de Sturridge, que só encostou na bola, em meio a Kimpembe e Thiago Silva, para fazer 1 a 0.
O PSG tentou uma rápida resposta, aos 34, com jogada ensaiada. Mbappè apareceu livre para concluir, em cobrança de escanteio curta e para trás, mas a bola subiu. No mesmo minuto, veio o pênalti para o Liverpool. Juan Bernat derrubou Wijnaldum infantilmente, na entrada da área. Milner bateu sério, no canto e ampliou: 2 a 0, aos 35.
O PSG, que não jogava mal, seguiu atacando o time da casa. Aos 39, Di Maria cruzou forte. Cavani, impedido, tentou uma bicicleta no meio da área e errou. Mas a bola encontrou Meunier, que bateu no canto para descontar.  
No segundo tempo, o Liverpool voltou ainda mais em cima do PSG do que na etapa inicial. Com Salah bem marcado, Sturridge era o jogador mais perigoso do ataque vermelho.
Salah chegou a balançar as redes aos 12, após rebote de lance de Sturridge. Na disputa com o Areola, porém, o inglês acabou cometendo falta em Areola, e o gol foi anulado.
Pouco depois, aos 15, Arnold avança livre pela direita e cruza. Sturridge aparece sozinho e cabeceia, mas pega fraco. A bola fica nas mãos de Areola.
Com boas trocas de passe, o time da casa assumiu o papel de ditar o ritmo de jogo. Ao PSG, couberam as chegadas em contra-ataques. Neymar e Cavani sumiram, aguardando uma chance que teimava em não surgir.
Aos 25, Fimino entra em campo no lugar de Sturidge. Aos 26, Salah desperdiça ótima chance. Van Dijk ganha cobrança de escanteio pelo alto e o egípcio, de frente para o gol, pega muito mal de esquerda.
Quando atacava, o PSG procurava sempre por Mbappè, pela direita do ataque francês. Embora tenha brigado muito e prendido bem a bola, poucas vezes, o campeão mundial conseguiu dar andamento às jogadas. 
Aos 36, Mané fez boa jogada pela esquerda e, em frente a Areola, desperdiçou. No contra-ataque, o PSG não perdoou.
Salah errou a saída de bola, ainda no campo defensivo e a bola sobrou para Neymar. No único lance em que pôde partir de frente para cima da defesa inglesa, o brasileiro limpou a jogada e rolou para Mbappè, que bateu na saída de Vorm e empatou o jogo.
O Liverpool não teve escolha e, já com Firmino em campo, se lançou ao ataque, abrindo brechas. Numa delas, Neymar, ainda do campo defensivo, achou Draxler quase na área do Liverpool e fez lançamento de quase 40 metros. A defesa bloqueou o chute.
O Liverpool seguia insistindo. E a estrela de Firmino brilhou. Na sobra de um escanteio cobrado por Milner, Firmino recebe dentro da área, dribla Marquinhos com categoria e chuta cruzado. Na comemoração, o centroavante tapou o olho machucado.

(Fonte: ESPN)

Rivais, Alckmin e Boulos farão comícios simultâneos no Centro Histórico; PM reforça segurança
Adversários na eleição presidencial, os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL) farão comícios simultâneos no Centro Histórico de Salvador na próxima sexta-feira (21).
Enquanto o tucano terá evento na Rua Chile, a partir das 4h da tarde, o socialista vai reunir os apoiadores às 5h da tarde, no monumento da Cruz Caída. A distância entre um ponto e outro é de aproximadamente de 260 metros.
A Secretaria de Segurança Pública da Bahia informou que a segurança será reforçada nos locais. “O policiamento no entorno dos comícios sempre é reforçado. As duas áreas estarão com reforço”, disse o órgão, em nota.
A SSP-BA disse que, por “questão de estratégica”, não pode divulgar o quantitativo de PMs que serão escalados para os trabalhos.
Fonte: Metro1

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

POLÍCIA CIVIL EM AMARGOSA SOLUCIONA MAIS UM HOMICÍDIO


Foi preso na manhã de hoje a pessoa de Hélio de Jesus Santos, mais conhecido por “Elias”, 23 anos, autor do homicídio que vitimou Murilo Silva dos Santos, fato ocorrido no dia 24/01/2017, por volta das 08h00min, na localidade de Ribeirão do Cupido, zona rural de Amargosa.

De acordo com as investigações da Polícia Civil de Amargosa, o acusado teria assassinado o seu opositor com um golpe de facão aplicado no pescoço, além de 03 (três) disparos de arma de fogo. O crime ocorreu num bambuzal, não havendo testemunhas presenciais. Após a investigação realizada pelo SI da Delegacia de Amargosa, O Delegado de Polícia representou pela decretação da prisão preventiva, que foi deferida pelo Juiz e finalmente cumprida no dia de hoje. 

Acusado e vítima respondem a processo criminal por furto. Em interrogatório, o acusado se defende afirmando que teria sido furtado pela vítima, o qual era vezeiro na prática deste crime na localidade. 

Hélio de Jesus Santos ficará recolhido na carceragem da Delegacia de Amargosa, a disposição da Justiça Criminal.
FONTE: POLÍCIA CIVIL
Bolsonaro dispara e alcança 33%; Fernando Haddad tem 16% e Ciro Gomes 14%, diz pequisa BTG/FSB
Uma pesquisa de intenção de votos divulgada na madrugada desta segunda-feira (17), feita pelo banco BTG Pactual em parceria com o Instituto FSB, traz Jair Bolsonaro (PSL) na liderança com 33% das intenções de voto.
Ele subiu três pontos percentuais em relação ao levantamento de uma semana atrás, fora da margem de erro.
A pesquisa do BTG é a que tem dado maior pontuação a Bolsonaro na comparação aos outros levantamentos como o Datafolha e o Ibope.
Fernando Haddad (PT) dobrou suas intenções de voto de 8% para 16% após ter sido confirmado oficialmente como candidato no lugar de Luiz Inácio Lula da Silva.
Ciro Gomes (PDT), subiu dentro da margem de erro e chegou a 14%, ante 12% da semana anterior. Geraldo Alckmin (PSDB) tem 6% e Marina Silva (Rede) tem 5%.
9% disseram não votar em ninguém, 2% votariam nulo ou em branco e 4% não souberam responder. 1% dos entrevistados não responderam à pesquisa. 
Fonte: exame.abril.com.br

CURTA!